Laboratórios

O Laboratório de Estudos de Linguagem da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa é parte integrante do Centro de Estudos Egas Moniz, composto por uma equipa de Neurologistas, Psicólogos e Terapeutas da Fala, estudantes de Mestrado e Doutoramento e estagiários curriculares/profissionais que se dedicam ao ensino, investigação clínica e atividade assistencial na área da Neurologia do Comportamento.

LEL
Direção

O Laboratório de Exercício e Reabilitação Cardiovascular, Unidade de investigação do Centro Cardiovascular da Universidade de Lisboa (CCUL) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), desenvolve a sua atividade em três grandes valências: Ensino, Investigação e Clínica (incluindo doentes cardiovasculares e prevenção na Comunidade).

Direção
A principal missão do Laboratório de Farmacologia Clínica e Terapêutica (LFCT) consiste no ensino pré e pós-graduado de Farmacologia Clínica e Terapêutica. No curriculum atual da FMUL, as disciplinas de Farmacologia e Terapêutica Geral são lecionadas no 3º, 4º e 5º anos do Mestrado Integrado em Medicina.
LFCT
Direção
O laboratório de investigação em Imunologia Básica estuda mecanismos de indução e manutenção de tolerância imunitária.
No âmbito do ciclo clínico da FMUL, a existência desta unidade orgânica – Laboratório de Imunologia Clínica – tem uma relevância estratégica fundamental. Por um lado assegura um ensino e investigação alicerçados numa base laboratorial reconhecidamente indispensável à especialidade de Imunoalergologia e Imunologia Clínica. Por outro lado, garante a estreita interação de um laboratório de diagnóstico diferenciado e investigação com as diversas clínicas universitárias ligadas à assistência médica nas doenças de base imunológica, integrando o Centro de Imunodeficiências Primárias do CAML.
Direção
O Laboratório de Nutrição é responsável pela dinamização do ensino de valências relacionadas com a Nutrição no âmbito da FMUL. As principais áreas de estudo centram-se no reconhecimento da influência da nutrição e estado nutricional do individuo no desenvolvimento de doença (como elemento promotor/protetor) bem como o  conhecimento do possível efeito terapêutico da nutrição em diversos contextos clínicos, nomeadamente: na doença hepática, na infeção por HIV, na doença gastrenterológica, no cancro, e obesidade.