Novo Plano de formação médica e laboratorial entra em vigor em agosto
Share

Apresentação do plano de compensação pós-COVID em formação médica/nutrição para aulas práticas clínicas e laboratoriais

planear algo
Credits: Unplash

 

Foi apresentado na passada semana o plano de compensação pós-COVID em formação médica, ou de nutrição, para aulas práticas clínicas e laboratoriais. Este plano, elaborado pelo Conselho Pedagógico, em parceria com o Departamento de Educação Médica (DEM) e Associação de Estudantes (AEFML), todos da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, prevê que se consigam colmatar os dois anos de programa curricular que foram afetados devido à pandemia.

Numa reunião geral de Regentes e Coordenadores da FMUL, o Presidente interino do Conselho Pedagógico, o Prof. Joaquim Ferreira, apresentou a todos os Regentes da FMUL, os objetivos principais de um plano que pretende assegurar o contacto e a ligação do aluno à atividade clínica e laboratorial. Este programa pretende também ser pioneiro ao implementar uma maior presença dos alunos nas urgências hospitalares. A atestar esta colaboração estreita com o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) esteve presente na reunião a Dra. Anabela Oliveira, Diretora do Serviço de Urgência do CHULN e também Docente da FMUL.

Nesta reunião foram apresentadas as regras gerais do que se pretende implementar no período compreendido entre o dia 1 de agosto de 2021 e até ao dia 15 de setembro 2022.

Estas são as regras gerais do Plano:

-  É voluntário, com um planeamento simples, funcional e com atividade clínica, ou laboratorial, pretendendo que os docentes do hospital integrem e acolham nas suas atividades clínicas os alunos;

- De modo a facilitar o contacto e a ligação do aluno à atividade clínica, está criado um triângulo de apoio e supervisão: entre DEM, AEFML e CP

 

Quais as Linhas gerais deste plano?

- Garantia de Estágios clínicos e laboratoriais em áreas disciplinares com aulas práticas clínicas com doentes, e laboratoriais.

- Existência de Tutores médicos que se disponibilizam para ser acompanhados por 1 ou mais estudantes, nas suas atividades clínicas. Pretende-se que este acompanhamento  seja o mais fusional possível com as rotinas da prática clínica e laboratorial.

- Presença na Urgência de alunos integrados em equipas de medicina e cirurgia. Preveem-se fazer períodos de urgência de 4 h ao fim da tarde e noite (durante a semana) e ao longo de todo o dia no fim-de-semana.

 

Até ao final de março os professores com atividade clínica têm a possibilidade de alargar novas componentes que fortaleçam o Plano, apresentando propostas sobre dinâmicas de integração dos seus estudantes

Diante desta situação de crise, que acabou por prejudicar os alunos do contacto com a prática clínica, Hospital e Faculdade não podiam estar mais alinhados para implementar dinâmicas “em ambiente de urgência que é muito propício a aprender, principalmente perante a doença aguda”, como reforçou a Docente da FMUL e Diretora da urgência de Santa Maria, Anabela Oliveira.

Já sobre o potencial de se criarem novas e mais precoces aproximações dos estudantes à clínica, o Professor Joaquim Ferreira não fechou a porta, “Estamos a abrir a possibilidade de ensino clínico e de uma ainda maior integração entre Hospital e Faculdade e incorporação de alunos nas atividades clínicas assistenciais.

Conheça as linhas gerais deste Plano na apresentação feita pelo Conselho Pedagógico.