II Fórum Saúde.Com
Share
dois homens sentados
Amílcar Correia e Pedro Passos Coelho

 

Realizou-se, hoje, no anfiteatro David Ferreira no edifício Egas Moniz, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), o II Fórum inovador Saúde.Com tendo como foco o tema Comunicar Saúde. Este ano o convidado de excelência foi o antigo Primeiro-ministro Pedro Passos Coelho que deu uma palestra intitulada: “Que políticas de saúde: Lei de bases da saúde”. 

A discussão contou ainda com a introdução do Professor João Costa, regente da disciplina de Medicina Baseada na evidência e literacia em saúde, com moderação de Amílcar Correia, diretor adjunto do Jornal “O Público” e da Professora Isabel de Santiago. No final foi possível à plateia, esgotada e constituída por alunos do Mestrado Integrado em Medicina, (MIM), fazer perguntas. 

O Fórum Saúde.Com resulta do programa científico da disciplina Medicina Baseada na Evidência e Literacia em Saúde do Mestrado Integrado de Medicina.

Pedro passos Coelho agradeceu o convite e embora esteja fora da política e muito mais dedicado às politicas sociais e à economia, fez uma viagem pelas suas antigas competências e recordou alguns fatores importantes que determinam as políticas públicas nomeadamente a política da saúde. 

Homem a proferir palestra
Pedro Passos Coelho

 

As políticas de saúde pública representam sempre um esforço grande na fatia do Orçamento do Estado e a sua aplicação são de grande impacto na vida das pessoas e, apesar de atualmente o gasto nestas políticas ser bastante superior ao que era despendido na década de 60 ou 70, a verdade é que continua a haver um subinvestimento.

Mas, se faz sentido que quanto maior for o investimento mais os resultados apresentados são positivos, há também quem defenda a possibilidade de “Prosperidade sem Crescimento”. Foram apresentados alguns gráficos onde fatores como esperança de vida e rendimento per capita, quando relacionados, apresentavam resultados positivos. Isto é, um rendimento baixo pode não afetar negativamente a esperança de vida. 

No caso de Portugal, mais investimento na área da saúde, por parte do Estado manifestou-se sempre de forma positiva em vários aspetos. 

As parcerias Público-Privadas, PPP, foram abordadas e as alterações à Lei Base da Saúde, também. De que forma é que estas alterações influenciam a vida quotidiana dos médicos nos hospitais, é o assunto que vamos desenvolver na próxima newsletter. As respostas às perguntas “Para quando médicos de família para todos” pelo nosso aluno Eddy e “qual a primeira medida que implementaria se voltasse ao Governo”, ficam também respondidas na newsletter.

fotografia com vários alunos na sala

​​​​​fotografia com vários alunos na sala