I Curso Pós-Graduado One Health - Saúde humana, Saúde animal e Saúde ambiental
Objetivos

Nas últimas duas décadas, a investigação no domínio da saúde tem vindo a confrontar-se com problemas cada vez mais complexos e cada vez mais globais. Muitos destes problemas, porventura inevitáveis, surgem associados a um desequilíbrio da dinâmica de crescimento da população humana – estima-se que, no final de 2050, a população global ultrapasse os 9,6 mil milhões – e a sua consequente expansão para novas áreas geográficas, mas também a uma rápida urbanização e agregação populacional, desenvolvimento de uma agropecuária intensiva, a desflorestação, a fragmentação dos habitat, a deterioração dos solos, dos recursos hídricos e dos ecossistemas, a perda de biodiversidade, o aquecimento global, alterações climáticas e um risco, cada vez maior, de (re)emergência de doenças infeciosas com potencial zoonótico e pandémico, dado o contacto próximo do homem com animais domésticos e selvagens. A mobilização de pessoas, animais e produtos alimentares aumentou do ponto de vista de viagens e de trocas comerciais e, deste modo, as doenças infeciosas podem atravessar muito rapidamente fronteiras e dar a volta ao mundo em apenas algumas horas. Estas transformações levaram à propagação de doenças zoonóticas conhecidas (endémicas), mas também de novas doenças ou emergentes, que se propagam entre os animais e os humanos. Assim, organizações como a World Health Organization (WHO) ou a Food and Agriculture Organization (FAO) começaram por implementar e desenvolver o conceito de “Uma só medicina” (One Medicine), justamente com o objectivo de sublinhar a necessidade de um esforço de coordenação e colaboração entre as duas medicinas – a medicina humana e a medicina veterinária – para tornar a saúde pública mais robusta e mais preparada para responder aos perigos e aos desafios colocados por este novo mundo globalizado. Porém, reconhecendo-se que a saúde humana não é apenas determinada pela condição clínica do indivíduo ou da população, mas, também, pela interação que este ou esta mantém com o ambiente que o rodeia, e do qual faz parte, eis então que o conceito de “Uma só medicina” acaba por evoluir para o conceito de “Uma só saúde” (One Health), isto é, uma conceção triádica que passa a incluir Saúde humana, Saúde animal e Saúde ambiental. É, pois, neste enquadramento que surge o primeiro documento estratégico para a redução do risco de doenças infeciosas, centrado na interface humano-animais-ambiente, documento este apresentado pela primeira vez em 2008, no decorrer da 6.ª Conferência Interministerial sobre a Gripe Aviária, que decorreu em Sharm El-Sheikh, no Egipto.

One Health apresenta-se como um conceito de abordagem sinérgica, multissectorial e interdisciplinar, com o objectivo de se otimizarem os resultados em saúde, reconhecendo a interação e a interdependência entre os humanos, os animais e o ambiente. One Health surge hoje como um conceito que tem um valor de uso, um valor operativo, isto é, que identifica problemas e procura soluções. Funda-se, portanto, em princípios de cooperação, colaboração e partilha de informação, mas também na adoção, na experimentação e, por vezes, na invenção de novas práticas de investigação. É, por esse motivo, uma área de trabalho interdisciplinar por excelência. Debruçando-se sobre temas que vão desde as doenças infeciosas até às doenças não transmissíveis, como a obesidade ou o cancro, por exemplo, One Health apresenta-se, talvez, mais como um método que procura potenciar a compreensão de determinados fenómenos que, de outro modo, não seria possível compreender. O caso do cancro é, aqui, eloquente, na medida em que torna evidente o poder translacional da investigação oncológica feita em animais (nomeadamente o cão e o gato) que desenvolvem, de forma espontânea, doença, beneficiando assim ambas as partes. Porém, este conceito não se esgota no primado da Saúde Pública. Num outro domínio, o conceito One Health tem vindo a expandir-se e a integrar uma noção de ambiente que vai muito para além do seu sentido tradicional de suporte estrutural. De facto, o ambiente (seja ele o habitat ou o ecossistema, seja ele local ou global) é identificado como um determinante de saúde, não apenas da Saúde humana, ou da Saúde animal, mas de todos os sistemas (e eis então que surge, hoje, o conceito de Planetary Health).

O curso pós-graduado “One Health – Saúde humana, Saúde animal, Saúde ambiental”, único no país, organizado pelo Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, surge a partir do reconhecimento da necessidade de disponibilizar as ferramentas conceptuais e práticas a todos aqueles que se dedicam ou pretendem vir a dedicar-se à investigação em um ou mais dos vértices da forma conceptual One Health.

Destinatários e Vagas

Este curso destina-se a todos os profissionais das áreas das Ciências Médicas e Biológicas, Engenharias, Ciências Sociais, que estejam direta ou indiretamente envolvidos na investigação e/ou na intervenção nos domínios da Saúde humana, Saúde animal e/ou Saúde ambiental, e sejam detentores de, pelo menos, o grau académico de licenciado.

Propinas/ Valor da inscrição

Pagamento por Transferência Bancária

Santander Totta - IBAN PT50 0018 0000 3666 5472 0018 0

Valor da Propina/Inscrição: 350,00€

Nota: Deverá anexar no Formulário abaixo o Certificado de Habilitações e o Comprovativo de Pagamento.

Datas e Carga Letiva

17h00-20h00 | Terças-Feiras

09, 16, 23, 30 de Novembro, 07, 14, 21 de Dezembro de 2021, 04, 11, 18, 25 de Janeiro, 01, 08, 15, 22 de Fevereiro, 08, 15, 22, 29 de Março, 05, 12, 19 e 26 de Abril de 2022.

Metodologia de Ensino

Este curso assenta na combinação de diferentes instrumentos formativos:

  • Exposição teórica
  • Exercícios práticos
  • Visionamento de vídeos
  • Discussão crítica, em grupo

Avaliação e Certificação

Os participantes que pretenderem obter a acreditação de 6 ECTS, terão de ter frequentado 3/4 das sessões e apresentar um trabalho, sob a forma de ensaio crítico, que verse sobre um tema do interesse do participante e que esteja relacionado com a temática geral do curso. O trabalho não deve exceder as 10 páginas (excluindo referências bibliográficas), fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento entre linhas de 1,5. O trabalho deverá ser entregue por e-mail, para ricardoreis@medicina.ulisboa.pt, até ao dia 17/05/2022. Os trabalhos serão avaliados pela direção do curso e as classificações (na escala de 0 a 20 valores) serão comunicadas por e-mail até ao dia 31/05/2022.

Aos participantes que optarem por não realizar a avaliação será emitido um certificado de frequência, desde que tenham frequentado 3/4 das sessões.

 

 

Coordenação

Diretores do Curso
Prof.ª Doutora Cristina Bárbara
Prof. Doutor Francisco Antunes
Prof. Doutor Fernando Maltez
Dr. Ricardo R. Santos

Organização
Instituto de Saúde Ambiental (ISAMB) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa

Comissão Científica

Prof. Doutor Fausto J. Pinto
Diretor

Prof. Doutor J. Melo Cristino
Presidente do Conselho Científico

Prof. Doutor Joaquim Ferreira
Presidente do Conselho Pedagógico

Formulário de inscrição

Opções
(comprovativo de pagamento, CV, carta de recomendação, ...)
Upload requirements
*Para os efeitos previstos no disposto do artº 13 do RGPD (EU) 2016/679 presto, por este meio, o meu consentimento para o tratamento dos dados pessoais acima indicados à FMUL, exclusivamente para os efeitos previstos neste curso durante o tempo que este durar, salvo no caso de, por minha vontade ou por motivo de força maior, deixarem de estar reunidas as condições para a minha participação no mesmo. Sendo que os mesmos dados pessoais poderão ser conservados para fins estatísticos desde que anonimizados, pseudonomizados ou cifrados por forma a deixarem de revestir a natureza de dados pessoais para efeitos de lei.