Informações Gerais

 

   Atenção!

 

logo FCT com letras verdes

 

A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) prorroga por um mês todos os contratos de bolsa que financia diretamente, no seguimento das medidas excecionais decretadas pelo Governo no âmbito da pandemia de Covid-19. Ver mais

 

triângulo amarelo e ponto de exclamação preto

No contexto da necessidade de incrementar medidas de prevenção face à evolução da pandemia do vírus Covid-19, o Conselho de Gestão da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, reunido no passado dia 13/03/2020, decidiu que no que diz respeito à área de pós-gradução:

  1. É suspenso o encontro anual dos estudantes de Doutoramento do Programa Doutoral do CAML e NeuruLisboa.
  2. São suspensas as Monday Lectures, bem como todas as outras reuniões e eventos.


 


 

Candidaturas e Inscrições

Para o Programa Doutoral do Centro Académico de Medicina de Lisboa, as candidaturas estão abertas em permanência.

 

Se o candidato não tem conta de acesso ao fénix (https://fenix.medicina.ulisboa.pt)

1. Deve efetuar o registo em https://fenix.medicina.ulisboa.pt/accountCreation.
2. Após criar a conta irá receber no e-mail o username, após o qual pode iniciar a formalização da candidatura em https://fenix.medicina.ulisboa.pt.

 

Se o candidato já tem conta de acesso ao fénix (https://fenix.medicina.ulisboa.pt)

A candidatura(*) compreende os seguintes passos:

1. Selecionar o período (ano letivo)
2. Selecionar o tipo de candidatura de acordo com o pretendido.

  • Mestrado Estudante Internacional IFA; ou
  • Mestrado Estudante Nacional IFA; ou
  • Doutoramento IFA; ou
  • Curso de Especialização IFA

3. Preencher o formulário online
4. Fazer upload do Curriculum Vitae
5. Fazer upload de carta de candidatura com declaração de objetivos
6. Fazer upload de declaração de compromisso de honra (aplicável aos estudantes internacionais) 
7. Fazer upload de cópias dos certificados de habilitações.

* Pagamento de taxa de candidatura no valor de 100€ (não reembolsável, exceto no caso de não funcionamento do curso).

 

Se ainda existirem dificuldades no acesso/credenciais, consulte a secção FAQ´s (no final da página)

 

Critérios de Seleção

Os candidatos serão selecionados pela Comissão Científica do Curso, tendo em conta os elementos apresentados no processo de candidatura e, caso se justifique, pela realização de uma entrevista.

Os candidatos são seriados de acordo com a pontuação obtida no processo de seleção, segundo os critérios definidos pela comissão científica do Curso.

No caso do grau académico ainda não estar concluído à data da abertura das candidaturas poderão, neste caso, os candidatos fazer uma candidatura provisória. A licenciatura tem de estar concluída até à data da inscrição.

 

Para informações específicas contacte-nos pelo endereço eletrónico avancada@medicina.ulisboa.pt

Candidaturas abertas em permanência.

Documentos a submeter:

  • Carta de candidatura com Declaração de objetivos 
  • Certificados de habilitações
  • Projeto de tese
  • Curriculum Vitae do candidato
  • Curriculum Vitae do(s) orientador(es)
  • Declaração de aceitação do(s) orientador(es)
  • Proposta do comité de tese.

Para informações específicas contacte-nos através do endereço eletrónico avancada@medicina.ulisboa.pt

 

 

 Para o Programa Doutoral do Centro Académico de Medicina de Lisboa, as candidaturas estão abertas em permanência.

 

O acesso ao regime internacional abrange os estudantes que, cumulativamente:

1. Não tenham nacionalidade portuguesa, excetuando:

  • Os nacionais de um Estado membro da União Europeia
  • Os familiares de portugueses ou de nacionais de um estado membro da União Europeia, independentemente da sua nacionalidade
  • Os que, não sendo nacionais de um Estado membro da União Europeia, residam legalmente em Portugal há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em 1 de janeiro do ano em que pretendam ingressar no ensino superior, bem como os filhos que com eles residam, sendo que o tempo de residência para estudo não releva para este efeito
  • Os beneficiários, em 1 de janeiro do ano em que pretendem ingressar no ensino superior, de estatuto de igualdade de direitos e deveres atribuído ao abrigo de tratado internacional outorgado entre o Estado Português e o Estado de que são nacionais

2. Entende-se por familiares de portugueses ou de nacionais de um estado membro da União Europeia, independentemente da sua nacionalidade:

  • O cônjuge de um cidadão da União
  • O parceiro com quem um cidadão da União vive em união de facto, constituída nos termos da lei, ou com quem o cidadão da União mantém uma relação permanente devidamente certificada, pela entidade competente do Estado membro onde reside
  • O descendente direto com menos de 21 anos de idade ou que esteja a cargo de um cidadão da União
  • O ascendente direto que esteja a cargo de um cidadão da União

 

Condições de acesso

Os candidatos devem possuir qualificação académica na(s) área(s) científica(s) do ciclo de estudos a que se candidatam.

 

Requisitos específicos para a Admissão:

1. Podem candidatar -se à matrícula e inscrição num ciclo de estudos conducente ao grau de mestre:

  • Os titulares do grau de licenciado ou equivalente legal
  • Os titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo
  • Os titulares de um grau superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado pelo Conselho Científico da Escola onde pretendem ser admitidos
  • Os detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Escola onde pretendem ser admitidos

2. Podem candidatar -se à matrícula e inscrição num ciclo de estudos de doutoramento:

  • Os titulares do grau de mestre ou equivalente legal
  • Os titulares do grau de licenciado, ou equivalente legal, detentores de um currículo escolar ou científico especialmente relevante, que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Escola onde pretendem ser admitidos
  • Os detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Escola onde pretendem ser admitidos

3. Neste âmbito consideram -se como equivalências legais os graus reconhecidos nos termos do Decreto -Lei n.º 66/2018, de 16 de agosto, bem como os graus que tenham sido reconhecidos ou considerados equivalentes ao abrigo de legislação anterior.

 

Candidatura

A candidatura deve ser acompanhada dos seguintes documentos:

  • Exibição de documento de identificação (passaporte, cartão de cidadão estrangeiro ou outro adequado), ou, quando autorizado pelo candidato, fotocópia simples do documento de identificação
  • Declaração, sob compromisso de honra, de que o candidato não tem nacionalidade portuguesa nem está abrangido por nenhuma das condições que, de acordo com o EEI, não lhe confiram a condição de Estudante Internacional (Modelo)
  • Documentos comprovativos das habilitações de acesso
  • Documentos comprovativos dos conhecimentos linguísticos, quando aplicável
  • Outros documentos que os órgãos competentes da Escola em que é feita a candidatura entendam como necessários para a apreciação da candidatura.

Os documentos comprovativos de habilitações devem obedecer aos seguintes requisitos:

  • São emitidos pela entidade competente do país em foram obtidas as habilitações
  • Sempre que não forem emitidos em português, inglês, francês ou espanhol, devem ser traduzidos para um destes idiomas
  • Quando emitidos por instituições de países extracomunitários, devem ser legalizados por agente consular português ou pela Apostila de Haia, sendo estas legalizações efetuadas no país de origem dos documentos.

 

Requisitos gerais para Admissão

Serão admitidos os candidatos que satisfaçam as seguintes condições:

i) Ser Licenciado ou possuir grau legal equivalente na(s) área(s) científica(s) do ciclo de estudos; ou

ii) Possuir grau académico superior estrangeiro conferido na conclusão de um 1º ciclo de estudos, organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha, por um estado aderente ao referido processo, na(s) área(s) científica(s) do ciclo de estudos; ou

iii) Possuir grau académico superior estrangeiro na(s) área(s) científica(s) do ciclo de estudos, que seja reconhecido pela Comissão Científica do curso como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado;

Esta informação não dispensa a consulta do edital, e o cumprimento das condições nele estabelecidas.

Documentos necessários para efectuar a candidatura

Anexar em formato digital (com a extensão pdf e com o tamanho máximo por ficheiro de 4096 Kb), os seguintes documentos:

  • Certidão de licenciatura ou de grau académico equivalente;
  • Currículo académico, científico e/ou profissional, com cópia dos documentos a que faz referência em anexo;
  • Carta de candidatura e declaração de objetivos;
  • Cópia do documento de identificação (frente e verso);
  • Cópia do documento de identificação fiscal (para candidatos sem cartão de cidadão);
  • Outros documentos que o candidato considere relevantes no âmbito da candidatura;
  • Os candidatos ao abrigo do regime internacional devem submeter cópia do passaporte, ou outro documento de identificação;
  • Comprovativo do pagamento da taxa de candidatura (efetuar upload).

Nota: Poderá anexar outros diplomas ou certidões que sejam relevantes para a candidatura.

Taxa de candidatura

O valor a pagar pela candidatura é de 100€, não havendo lugar à sua devolução caso o candidato seja excluído ou não seja seleccionado.

No final do processo de candidatura é emitida uma referência multibanco para proceder ao pagamento. A referência fica activa de imediato.

A taxa de candidatura é emitida em nome dos candidato. Contudo, em situações específicas, nomeadamente nos casos em que a taxa seja assumida por outras entidades ou instituições em nome do candidato, deve ser liquidadas directamente na Tesouraria da Faculdade.

Horário de funcionamento da Tesouraria
2ª / 3ª / 4ª – 10h-13h   |   5ª / 6ª – 10h-13h / 14h-16h

A propina poderá ser paga, na sua totalidade ou em prestações, de acordo com os prazos e valores indicados na deliberação de propinas para o ano letivo 2019/2020. Consultar

Redução de 12% para colaboradores de instituições afiliadas com a Faculdade de Medicina
Nos termos dos protocolos de colaboração celebrados, os colaboradores de instituições afiliadas com a Faculdade de Medicina beneficiam de uma redução de 12% sobre o valor de propinas.
Após serem informados que foram admitidos, devem, para o efeito, enviar requerimento dirigido ao Conselho de Gestão da Faculdade, acompanhado de documento comprovativo de pertença à instituição afiliada, para o endereço eletrónico avancada@medicina.ulisboa.pt.

A propina é emitida em nome dos estudantes e pode ser paga através de referência Multibanco ou diretamente na Tesouraria da FMUL.

Contudo, em situações específicas, nomeadamente nos casos em que as propinas sejam assumidas por outras entidades ou instituições em nome do estudante, estas devem ser liquidadas diretamente na Tesouraria da Faculdade, não podendo ser pagas por referência Multibanco.

Horário de funcionamento da Tesouraria
2ª / 3ª / 4ª – 10h-13h   |   5ª / 6ª – 10h-13h / 14h-16h

 

O curso de Mestrado compreende:

a) A frequência e a aprovação num curso de especialização, constituído por um conjunto organizado de unidades curriculares, denominado “curso de mestrado”. A sua frequência e aprovação são certificadas.

b) A elaboração e discussão pública de uma dissertação de natureza científica ou de um trabalho de projeto, originais e especialmente realizados para este fim, ou um estágio de natureza profissional objeto de relatório final.

O grau de mestre é conferido após aprovação e defesa pública da dissertação ou relatório de estágio.

 

Submissão da proposta de Trabalho Final

Após a saída da nota final da componente curricular do Mestrado o estudante dispõe de 45 dias úteis para a entrega da proposta de trabalho final, a entrega da proposta de trabalho final só pode ser efetuada após a inscrição no ano letivo.

Documentos submetidos na secretaria academica fénix:

  1. Requerimento;
  2. Projeto de trabalho final;
  3. Declaração de aceitação do orientador (es)

A escolha do orientador deve obedecer aos seguintes requisitos:

a) A elaboração da dissertação, do trabalho de projeto ou a realização do estágio deve decorrer sob a orientação de um doutor ou de um detentor do título de especialista conferido nos termos do Decreto-lei n.º 206/2009, de 31 de agosto.

b) A orientação pode ser assegurada em regime de coorientação, quer por orientadores nacionais, quer por nacionais e estrangeiros, até um máximo de dois orientadores.

Os serviços do IFA encaminham a documentação para aprovação da comissão científica do curso.

Após esta aprovação a documentação é submetida à apreciação e registo do tema (projeto) pelo órgão competente da Faculdade de Medicina o Conselho Científico, que reúne uma vez por mês.

Os serviços do IFA comunicam os resultados desta aprovação aos estudantes, orientadores e Comissão Científica do Curso.

Sempre que haja lugar a recomendações ou reformulações as mesmas são comunicadas ao estudante, orientador (es), com a definição caso a caso do tempo para a submissão da reformulação.

Recomenda-se a submissão à Comissão de Ética do Centro Académico de Medicina de Lisboa, dos projetos aprovados, para mais informações sobre o processo deverá ser consultada a página oficial.

 

Recomendações para a elaboração do projeto do trabalho final do mestrado

Estas informações são indicativas e não dispensam a consulta da comissão científica do mestrado e dos orientadores escolhidos


O projeto trabalho final deverá mencionar na primeira folha que é um projeto original no âmbito do Curso de Mestrado (identificar), nome do estudante e nome(s) do(s) orientador(es).

O projeto de trabalho final deve conter os seguintes capítulos escritos de forma concisa e clara (máx. 5 folhas A4):

  • Título – Deve ser curto, explicitando todavia o teor da investigação e revelando o carácter de pesquisa do trabalho. Pode ter subtítulo que clarifique melhor o tema.
  • Introdução –  Onde se deve situar e circunscrever o problema em estudo, indicando genericamente a importância e oportunidade da investigação, limitando  as referências bibliográficas às tidas como essenciais.
  • Objetivos – Identificar, com clareza e de forma sintética, os objetivos centrais do trabalho.
  • Material ou população de estudo – No caso da  investigação incluir trabalho de campo, descrever sucintamente o tipo de população visada e o local em que será selecionada e observada.
  • Métodos – Descrever os principais aspetos metodológicos do trabalho, nomeadamente, seleção da amostra, observações, metodologia epidemiológica e/ou estatística, etc..
  • Organização – Descrever os contactos, faseamento, cronograma, financiamento e/ou outros aspetos organizativos do trabalho.
  • Exequibilidade do projeto (condições científicas e financeiras) – Condições de realização do projeto.
  • Condições de acolhimento e orientação – Definir as unidades de investigação e ou acolhimento onde a investigação/recolha de dados se vai realizar e acompanhamento do orientador (es). Tempo de dedicação ao projeto (parcial (%), integral).

 

 

O estudante deverá requerer numa primeira a fase a aprovação da constituição do júri com a instrução do processo através do portal académico fénix em “Admissão a Provas”:

  • Requerimento
  • Parecer do orientador (es), devidamente fundamentado
  • Dissertação
  • Curriculum vitae

 

1. O pedido é objeto de apreciação científica pelos membros comissão científica do mestrado, que recomendam a submissão ao Conselho Cientifico da FMUL.

1.1. Admissão a provas

Após aprovação em conselho científico o estudante é informado, pelos serviços do IFA que dispõe de 30 dias, para apresentar os documentos  nos serviços do Instituto de Formação Avançada (IFA)   para formalização da marcação da prova:

  • Requerimento
  • Até seis exemplares do trabalho apresentado e curriculum vitae entregue em pen-drive (indicado de acordo com o n.º de vogais do júri)
  • Registo Nacional de Teses e Dissertações (RENATES)
  • Declaração de cedência de dados
  • Pagamento do emolumento associado

Em cada fase do processo de apreciação cientifica podem ser solicitadas recomendações, a serem transmitidas pelos serviços sempre com o conhecimento do(s) Orientador(es). De acordo com as recomendações solicitadas é indicado o prazo para entrega das reformulações.

 

2. Composição, nomeação e funcionamento do júri

 

O júri profere um despacho liminar, no prazo de 30 dias úteis, a contar da data da sua nomeação, a aceitar o trabalho final ou, em alternativa, a recomendar, de forma fundamentada, a sua reformulação.

No caso da reformulação prevista no número anterior, o candidato tem o prazo de 30 dias úteis, improrrogável, para proceder em conformidade, salvo se declarar que não o pretende fazer.

O ato público de defesa do trabalho final tem lugar nas instalações da FMUL e deve ser marcado dentro de um prazo de 45 dias úteis após a nomeação do júri, ou após a entrega do trabalho final.

O edital das provas inclui a identificação do júri sendo divulgado em local público da Faculdade de Medicina.

A discussão do trabalho final deverá respeitar os seguintes aspetos:

  • O estudante efetua a apresentação oral e defesa do seu trabalho perante o júri nomeado, que procede à sua apreciação;
  • A duração da discussão pública não pode exceder 90 minutos, sendo recomendado que tenha a duração de 60 minutos, e nela podem intervir todos os membros do júri;
  • O estudante inicia a sessão pela apresentação do seu trabalho com uma duração não superior a 20 minutos;
  • Os restantes 70 minutos devem ser ocupados pela discussão do conteúdo científico/ técnico do trabalho, sendo divididos em partes iguais pelas intervenções dos membros do júri e pelo estudante;
  • Compete ao presidente do júri gerir a ordem e duração das intervenções, bem como resolver quaisquer dúvidas, arbitrar eventuais contradições, zelar para que todos os direitos sejam respeitados e garantir a dignidade do ato.

 

 

Em conformidade com o Regulamento de Estudos de Pós- Graduação da Universidade de Lisboa, publicado em Diário da República, 2.ª série — N.º 155 — 11 de agosto de 2017, Graus académicos e Diplomas do Ensino Superior Público Decreto-Lei n.º 65/2018 de 16 de agosto, publicado em Diário da República, 1.ª série — N.º 157 — 16 de agosto de 2018 e o regulamento interno dos 2.º ciclos (.pdf)

 

O trabalho final deve respeitar as seguintes condições: 
 

  • A página de rosto deve ser cópia da capa, e incluir referência ao nome do orientador ou orientadores, abaixo do nome do estudante. As páginas seguintes devem incluir resumos (até 300 palavras) e palavras-chave (cinco Palavras-chave) em português e numa outra língua oficial da União Europeia, a que se seguem os índices.
  • O órgão legal e estatutariamente competente da escola, mediante parecer favorável da comissão científica do ciclo de estudos, pode autorizar a apresentação do trabalho final numa língua estrangeira, sendo necessário, nestas condições, que o mesmo seja acompanhado de um resumo mais alargado em português com uma extensão compreendida entre 1200 e 1500 palavras.
  • Quando as dimensões dos trabalhos assim o recomendarem, certas partes dos trabalhos finais, nomeadamente os anexos, podem ser apresentados exclusivamente em suporte informático.
  • Para efeitos de depósito legal e arquivo no Repositório da Universidade de Lisboa, os trabalhos finais devem ser acompanhados de 1 (um) exemplar em suporte informático do tipo CD-ROM ou similar.
  • O estudante deve solicitar a realização das provas públicas para apreciação e discussão pública do trabalho final em requerimento dirigido ao Presidente do Conselho Científico da Faculdade de Medicina, dentro do prazo fixado, 12 meses após a aprovação do projeto, ou após deferimento de pedido de prorrogação.

 

Regras para apresentação da Dissertação
 

A Dissertação deve incluir resumos em português e noutra língua oficial União Europeia, até 5 palavras-chave em português e noutra língua oficial da União Europeia, e índices.

Quando, de acordo com a regulamentação específica, a Dissertação seja redigida em língua estrangeira, deve ser acompanhada de um resumo mais desenvolvido em português, com uma extensão compreendida entre 1200 e 1500 palavras.

Quando tal se revele necessário, certas partes da Dissertação, designadamente os anexos, podem ser apresentados exclusivamente em suporte digital.

Sempre que a totalidade, ou parte significativa, esteja redigida em língua estrangeira, devem ser acompanhados de um resumo em português.

A entrega dos trabalhos finais é realizada exclusivamente em formato digital, excetuando-se a necessidade de entrega de um exemplar em papel para efeitos de depósito legal.

 

Regras de formatação da capa, folha de rosto e capa interna
 

Anexo I - Modelo capa

 

UNIVERSIDADE DE LISBOA

Escola

Logotipo(s)

Espaço reservado a imagens ou gráficos (caso existam/pretendam)

Título do trabalho

Nome completo do Autor

Orientador(es):
Prof. Doutor … (Nome completo)
Prof. Doutor … (Nome completo)

Dissertação especialmente elaborada para obtenção do grau de Mestre em … (ramo e especialidade, se aplicável)

Ano

Anexo II - Modelo Folha de Rosto

 

UNIVERSIDADE DE LISBOA

Escola

Logotipo(s)

Título do Trabalho

Nome completo do Autor

Orientador(es):
Prof. Doutor … (Nome completo)
Prof. Doutor … (Nome completo)

Dissertação especialmente elaborada para obtenção do grau de Mestre em … (ramo e especialidade, se aplicável)

Instituições Financiadoras e âmbito (se aplicável)

Ano

 

Capa Interna

 

Nos termos do Despacho do Diretor da FMUL (despacho 48/2004), na Capa Interna da Dissertação de Mestrado, deve constar a seguinte declaração, em negrito e corpo 14, no 1/4 interior daquela página:

“A impressão desta dissertação foi aprovada pelo Conselho Científico da Faculdade de Medicina de Lisboa em reunião de (data em que recaiu a aprovação).”

 

 

A oferta formativa através da frequência de unidades curriculares isoladas possibilita o aprofundamento e atualização de conhecimentos, bem como a concretização de uma formação multidisciplinar.

 

Podem candidatar-se à frequência de unidades curriculares isoladas:

 

  1. Estudantes de qualquer escola da Universidade de Lisboa, inscritos em ciclos de estudos distintos do ciclo ao qual pertence a unidade curricular;
  2. Estudantes externos à Universidade de Lisboa, inscritos em ciclos de estudos de outra instituição de ensino superior;
  3. Outros interessados desde que possuam o grau de licenciado ou o equivalente legal.

Em cada ano letivo, o número máximo de unidades curriculares isoladas a que um candidato se pode inscrever não poderá ultrapassar o total de 30 ECTS.

A inscrição está dependente da disponibilidade de vagas em cada unidade curricular, cujo número máximo será definido pelo órgão competente de cada Escola. Através deste regime não são admitidas candidaturas a unidades curriculares dissertação/relatório de estágio/trabalho de projeto/seminário de tese/tese ou outras unidades curriculares da mesma natureza.

 

Candidaturas, prazos e pagamentos
 

 

Pela candidatura é devido o pagamento dos emolumentos fixados pelo Conselho de Gestão da Escola.

1. O valor a pagar pela inscrição em unidades curriculares isoladas é definido pelo órgão competente da Escola tendo em consideração, nomeadamente:

  • o número de créditos da unidade curricular
  • o valor da propina cobrada nos ciclos de estudo em que é oferecida a unidade curricular
  • os possíveis encargos que a frequência da unidade curricular poderá implicar em termos de equipamentos, consumíveis e meios humanos

2. Ao valor da inscrição acrescerá o pagamento do seguro escolar.

3. O valor devido pela inscrição na unidade curricular isolada será pago integralmente pelo estudante à Escola onde frequentar a unidade curricular isolada.

4. As condições específicas referentes a prazos, vagas, processo de candidatura e seleção, valor da inscrição e emolumentos, bem como possíveis restrições devem ser consultadas no Edital de abertura de candidaturas a consultar aqui.

5. A consulta das unidades curriculares é efetuada na página de cada curso de mestrado, doutoramento e curso de especialização.

 

Mobilidade dentro da ULisboa
 

Os estudantes que pretendam frequentar uma unidade curricular em funcionamento noutra escola, para integração como opcional no ciclo de estudos conferente de grau em que se encontram inscritos, devem requere-lo no Instituto de Formação Avançada – IFA, no início de cada semestre mediante requerimento

O pedido depois de analisado e aceite é remetido pelo IFA para a escola pretendida onde, após verificação da existência de condições de funcionamento que permitam a aceitação do estudante, procedem à inscrição do mesmo.

Para o estudante não existe qualquer pagamento adicional ao normal pagamento das propinas definidas pela FMUL para o ano letivo em que se encontre inscrito.

 

 

 

Posso candidatar-me presencialmente?
Não. A candidatura é feita online através do preenchimento de um formulário, disponível nesta página.

Qual o modelo de Curriculum Vitae?
Sugere-se modelo europeu.

O que se pretende com a carta de motivação?
A Carta de motivação é um documento que acompanha os restantes documentos solicitados na candidatura. Na carta de motivação, deve indicar as motivações pessoais e profissionais subjacentes à candidatura.

O que se pretende com a declaração de objectivos?
Pretende-se que enuncie de forma breve e concisa os seus interesses de investigação a desenvolver no âmbito do curso ao qual se candidata.

É possível submeter a candidatura com algum documento em falta?
Sim, contudo como alguns documentos são de carácter obrigatório, ex. certificado de habilitações, é sempre necessário anexar um documento, caso contrario o sistema não vai permitir finalizar a sua inscrição.

Os documentos em falta devem ser enviados logo que possível para o e-mail avancada@medicina.ulisboa.pt.

É possível submeter a candidatura sem ter terminado a licenciatura?
Sim, caso ainda não possua, à data da candidatura o seu certificado, poderá entregar uma lista de cadeiras feitas emitida pelos serviços académicos da instituição de ensino onde frequenta o grau, ficando a sua candidatura pendente e condicional até à entrega da certidão de licenciatura.

Como posso pagar a taxa de candidatura?
A taxa de candidatura é emitida em nome dos estudantes e é paga através de referências multibanco. Contudo, em situações específicas, nomeadamente nos casos em que a taxa seja assumida por outras entidades ou instituições em nome do estudante, devem ser liquidadas directamente na Tesouraria da Faculdade e não podem ser pagas por referências multibanco.

É possível fazer pagamentos a partir do estrangeiro?
Os pagamentos a partir do estrangeiro são possíveis, devendo para o efeito enviar um e-mail para avancada@medicina.ulisboa.pt para serem enviados os dados bancários (swift code) para pagamento através de transferência bancária.

Como tenho conhecimento dos resultados?
No decurso da sua candidatura, vai receber por e-mail indicações do estado da sua candidatura.

DIFICULDADES DE ACESSOS

Não me recordo do Username ou password da conta CAMPUS, o que devo fazer?
Se não se recordar do username ou da password da conta Campus deverá aceder AQUI  e seguir as instruções para a recuperação do username ou password.

Não consigo recuperar o username ou password, como proceder?
Caso não consiga recuperar o username ou password através do mecanismo de recuperação, deverá enviar um email para o endereço suporte@medicina.ulisboa.pt indicando os seguintes dados:
Nome completo; Nº de aluno;  Nº do curso; Nº de identificação (BI/CC);  Email externo.

Address

Instituto de Formação Avançada
Edifício Egas Moniz

 

Horário de funcionamento
2ª, 3ª e 4ª:  
– 10h - 13h 
5ª e 6ª:  
– 10h - 13h / 14h - 16h