Dia Mundial Mundial do Combate à Depressão
Share

 

Estima-se que cerca de 700 mil portugueses tenham sintomas depressivos, ainda que não estejam numa situação grave. A par da Irlanda somos o país com maior prevalência desta doença que continua a não ter resposta atempadas por parte Serviços de Saúde e gera incompreensão por parte da sociedade.

jovem deprimida na varanda

A depressão é uma doença com fatores biológicos e hereditários, mas as dificuldades económicas contribuem também para aumentar o sofrimento e os tempos que se avizinham não vão ser fáceis.

Segundo Pedro Morgado, coordenador regional de saúde mental, em declarações à SIC, “é nas pessoas com maior desfavorecimento que se encontra mais situações de depressão e maior dificuldade de acesso a tratamentos", acrescentando que "nesta crise económica vamos ter mais pessoas em risco e pessoas mais desfavorecidas em risco a desenvolver quadros depressivos”.

Estas pessoas "devem ser diagnosticados nos cuidados Saúde Primários onde podemos dar resposta em tratamentos psicoterapêuticos, mas que ainda não têm cobertura nacional, está-se a trabalhar para isso”, da mesma forma o tempo de espera para uma consulta da especialidade no SNS “tem também de ser melhorado,” explica Pedro Morgado.

No Dia Mundial de Combate à Depressão, é feito o alerta para o papel da sociedade na prevenção da doença que passa por criar melhores condições de emprego e de vida.