• en
  • pt

EQUIVALÊNCIA DE GRAU

Prova Prática/Clínica

As provas práticas irão decorrer entre 22 de abril e 7 de junho de 2019.

Como são sorteados os dias de prova dos(as) candidatos(as)?
O sorteio é realizado por ordem alfabética. Apenas poderão ser alteradas as datas para candidatos que comprovem  os motivos de força maior para não comparecer no dia sorteado.

Se não for possível comparecer?
Na impossibilidade de comparência, de acordo com o regulamento, o candidato tem de entregar uma justificação oficial (via correio eletrónico para equivalencia@medicina.ulisboa.pt, no prazo máximo de 5 dias.

Onde se realiza a prova prática/clínica?
A maioria das provas decorre no Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (Lisboa). Localização (google map)
Algumas provas decorrem no Hospital Garcia de Orta (Almada). Localização (google map)
Os(as) candidatos(as) realizam a prova sempre no mesmo hospital.

Qual o formato da prova prática/clínica?
De acordo com o item b), dp artigo 9.º do regulamento, a prova consiste na observação de um doente da área da Medicina ou Cirurgia, com preparação de um relatório, em moldes semelhantes ao das provas práticas do Internato Médico, nomeadamente:

    1. O doente é sorteado, no próprio dia em que se realiza a prova;
    2. O candidato tem 60 minutos para entrevistar o doente que lhes é atribuído por sorteio.
    3. Seguidamente, o candidato tem 60 minutos para redigir um relatório contendo a história clínica que deve incluir a anamnese, o exame físico e proposta de diagnóstico provisório, requisição de exames complementares, discussão do diagnóstico diferencial, estabelecimento de diagnóstico definitivo, proposta de terapêutica e prognóstico.
    4. O júri fornece ao candidato os resultados dos estudos requisitados, sempre que estes constem no processo clínico do doente;
    5. Os relatórios elaborados pelos candidatos são entregues ao júri, que os encerrará em envelope nominal, rubricado pelos intervenientes nas provas, sendo posteriormente abertos, na presença do candidato, no início da discussão;
    6. A discussão do relatório, a realizar no dia seguinte, tem a duração máxima de uma hora;
    7. A classificação assume a forma de “aprovado” ou “não aprovado” e deve ter uma classificação na escala de 10 a 20, no caso de aprovação.

Qual a duração da prova?
A prova decorre em dois dias consecutivos. No primeiro dia o(a) candidato(a) observa um doente e redige um relatório clínico, no segundo dia o (a) candidato(a) discute o relatório clínico com os Júris.

Qual é a composição dos Júris
Cada candidato tem como Júri da sua prova prática/clínica dois médicos especialistas, um na área da Medicina e outro na área da Cirurgia.

Confirmação de identidade
Os candidatos devem exibir o documento de identificação que apresentaram no dia da candidatura. Sem a apresentação deste documento não podem realizar a prova.

Materiais/equipamentos que deve levar para a prova prática/clínica
– Caneta ou esferográfica;
– Bata;
– Estetoscópio;
– Diapasão (que poderá ser utilizado do local/enfermaria);
– Oftalmoscópio (poderá ser utilizado do local/enfermaria);
– Esfigmomanómetro (poderá ser utilizado do local/enfermaria).

Materiais/equipamentos que é proibido levar para a prova prática/clínica
– Folhas de rascunho (somente podem utilizar as que a FMUL vai fornecer);
– Telemóveis (telefone celular);
– Computadores portáteis;
– Tablets.

Outras informações
Os candidatos devem consultar o Regulamento (disponível desde 9 de outubro de 2018), para informações mais específicas sobre o processo em curso.

Exame Escrito

Dia: 10 de janeiro de 2019
Hora: 09:00 horas (os candidatos deverão apresentar-se 30 minutos antes da hora marcada)
Local: Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Edifico Egas Moniz – Auditório Professor João Lobo Antunes e Auditório Professor David Ferreira (como chegar)
Duração da prova: 180 minutos.

Auditório David Ferreira | Lista de Candidatos a Exame (em PDF)
Auditório João Lobo Antunes | Lista de Candidatos a Exame (em PDF)

Confirmação de identidade: Os candidatos devem exibir o documento de identificação que apresentaram no dia da candidatura. Sem a apresentação deste documento não podem realizar a prova.

Materiais necessários: Os candidatos só podem usar caneta ou esferográfica de tinta azul ou preta.

Forma de contato: Os candidatos que vão realizar o exame escrito serão contatados via correio eletrónico para o endereço que os candidatos ou os seus representantes legais indicaram na ficha individual

Sobre a prova:

1. Exame de resposta de escolha múltipla (cinco hipóteses – uma resposta certa), que é elaborado em conjunto pelas EMP;

2. O exame é composto por 120 questões, de resposta múltipla, que engloba as seguintes áreas da medicina: Medicina Interna (40 questões), Cirurgia Geral (20 questões), Pediatria (20 questões), Obstetrícia/Ginecologia (10 questões), Clínica Geral (10 questões), Saúde Pública (10 questões), Saúde Mental (10 questões);

3. Lista de potenciais livros de referência para a preparação do exame:
. Ivor, B., Griggs, R., Wing, E., & Fitz, J. (2015). Andreoli and Carpenter’s Cecil Essentials of Medicine. Elsevier Health Sciences. ISBN: 978 -1437718997.
. Kasper, D., Fauci, A., Hauser, S., Longo, D., Jameson, J., & Loscalzo, J. (2015). Harrison’s principles of internal medicine, 19e. ISBN: 13: 978 -0071802154.
. Marcdante, K., & Kliegman, R. M. (2014). Nelson Essentials of Pediatrics E -Book. Elsevier Health Sciences. 7e. ISBN:978 -1455759804.
. Brunicardi, F., Andersen, D., Billiar, T., Dunn, D. L., Hunter, J. G., Matthews, J. B., & Pollock, R. E. (2014). Schwartz’s Principles of Surgery, 10e. McGraw -Hill. ISBN: 978 -0071796750.
. Beckmann, C., Herbert, W., Laube, D., Ling, F., & Smith, R. (2013). Obstetrics and Gynecology, 7e. Lippincott Williams & Wilkins. ISBN: 978 -1451144314.
. Harrison, P., Cowen, P., Burns, T., & Fazel, M. (2017). Shorter Oxford Textbook of Psychiatry, 7e. Oxford University Press. ISBN: 978 -0198747437.

4. Para obter aprovação ao Exame Escrito, o candidato tem de obter a classificação mínima de 10,00 valores correspondente, no mínimo, a 60 respostas corretas;

5. O Exame Escrito realiza-se em simultâneo em todas as EMP que aceitem pedidos de Equivalência e tem a duração 180 minutos;

6. O dia e hora da prova são afixados de acordo com o definido no n.º 2 do artigo 12.º do presente regulamento.

7. Os candidatos, mediante requerimento apresentado nos dois dias úteis, não contando o dia do envio da pauta do exame escrito, podem solicitar consulta e revisão de prova.

Outras informações:

Os candidatos devem consultar o regulamento (disponível desde 9 de outubro de 2018), para informações mais específicas sobre o processo em curso:

Regulamento do Processo de Equivalência ao Ciclo de Estudos Integrado de Mestrado em Medicina das Escolas Médicas Portuguesas

O contato com os candidatos será realizado para o endereço de correio eletrónico indicado pelo candidato,ou pelo seu representante legal na ficha individual. Caso este endereço tenha sido alterado, deverá informar os serviços da FMUL (via correio eletrónico para equivalencia@medicina.ulisboa.pt).

Na impossibilidade de comparência, o candidato tem de entregar uma justificação oficial (via correio eletrónico para equivalencia@medicina.ulisboa.pt), no prazo máximo de 5 dias.

Caso justifique a sua falta de comparência, pode candidatar-se ao próximo processo. Não necessita de adicionar documentação, a sua candidatura mantém-se válida.

Se pretende desistir do processo tem de formalizar desistência via correio eletrónico (via correio eletrónico para equivalencia@medicina.ulisboa.pt)

Os candidatos que, por qualquer forma, cometam ou tentem cometer fraude, em seu proveito ou em proveito de outrem, bem como aqueles que dela se aproveitem, são impedidos de continuar o seu exame.

Para a realização das provas de exame, os examinandos não podem levar quaisquer suportes escritos (ex: livros, cadernos, folhas), nem aparelhos de vídeo ou áudio, incluindo telemóveis, bips, etc.

Não são permitidas folhas de rascunho.

O requerimento para solicitar consulta e revisão de prova deve ser enviado via correio eletrónico para o endereço equivalencia@medicina.ulisboa.pt.

Prova de Língua Portuguesa

Dia: 30 de novembro de 2018
Local: Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Edifício comum ao Hospital de Santa Maria, Auditório Professor Cid dos Santos, Piso 2. (Como chegar)
Hora: das 09:00h às 10:30h (deve comparecer 15 minutos antes).
Duração da prova: 90 minutos.
Limite de atraso de comparência: Não pode ultrapassar 15 minutos após a hora do início da prova.
Confirmação de identidade: Os candidatos não podem realizar a prova sem serem portadores do Passaporte ou de documento que o substitua, desde que contenha fotografia.
Documentos e materiais necessários: Os candidatos só podem usar caneta ou esferográfica de tinta azul ou preta.
Forma de contato: Os candidatos que vão realizar a prova de língua Portuguesa serão contatados individualmente via correio electrónico.
Sobre a prova: Transcrevemos o artigo 8.º do regulamento

Artigo 8.º
Prova de Língua Portuguesa

  1. Previamente à admissão ao Exame de Equivalência, todos os candidatos, exceto os candidatos oriundos de países com Língua Oficial Portuguesa, devem ser submetidos a exame escrito que demonstre que dominam suficientemente a Língua Portuguesa.
  2. A realização da prova de Língua Portuguesa é assegurada pelo Departamento de Educação Médica da Faculdade de Ciências Médicas| NOVA Medical School da Universidade Nova de Lisboa e tem caráter eliminatório.
  3. A prova de Língua Portuguesa é equivalente à exigida aos alunos portugueses do 6º ano de escolaridade, tendo uma duração de 90 minutos.
  4. Para a passagem à fase seguinte os candidatos têm de obter nota mínima de 10,00 valores.
  5. A época para a realização da prova de Língua Portuguesa é definida anualmente, nos termos do n.º 2 do artigo 12.º do presente regulamento.
  6. Os candidatos que reprovarem só podem repetir a prova de Língua Portuguesa uma única vez, implicando esta repetição o pagamento de uma inscrição no processo de candidatura do ano seguinte.
  7. A prova de Língua Portuguesa consiste numa avaliação escrita. Esta prova avalia a compreensão, o conhecimento e a expressão escrita da língua portuguesa, tendo como referente o programa em vigor para o ensino básico – 6º ano de escolaridade, não sendo permitida a utilização de dicionário.
  8. Os objetivos de avaliação da prova são os seguintes:
    1. Compreender um texto;
    2. Conhecer os aspectos fundamentais da estrutura e do uso do Português padrão;
    3. Conhecer as técnicas básicas da organização textual;
    4. Selecionar informação adequada a partir de material escrito;
    5. Usar o conhecimento da língua como instrumento de compreensão da escrita;
    6. Conhecer vocabulário preciso e específico;
    7. Respeitar as regras e normas da escrita;
    8. Interpretar dados;
    9. Formular perguntas;
    10. Comunicar de forma correta e adequada em contextos diversos e com objetivos diversificados;
    11. Produzir um texto escrito adequado ao objetivo e à situação;
    12. Dominar a complexidade gramatical requerida para narrar situações vividas e ou imaginadas;
    13. Produzir um texto compositivo.
  9. A prova organiza-se estruturalmente em três grupos:
    1. Grupo I – Leitura orientada de um ou mais textos;
    2. Grupo II – Formulação de perguntas a partir de um texto e ou interpretação de gráficos;
    3. Grupo III – Redação de um texto a partir de um tema dado.
  10. A cotação da prova é distribuída da seguinte forma:
    1. Grupo I – 80 pontos;
    2. Grupo II – 50 pontos;
    3. Grupo III – 70 pontos;
    4. Sendo o Total – 200 pontos.

Outras informações:
Devem escrever na folha de prova o nome completo, de forma legível e a data.
Em caso algum não podem ser aceites respostas dadas em folhas de rascunho ou escritas a lápis.
É permitido aos candidatos substituir as folhas de resposta. O responsável pela vigilância deverá, no entanto, rasgar as folhas inutilizadas, na presença do candidato.
Os candidatos que, por qualquer forma, cometam ou tentem cometer fraude, em seu proveito ou em proveito de outrem, bem como aqueles que dela se aproveitem, são impedidos de continuar o seu exame.
Para a realização das provas de exame, os examinandos não podem levar quaisquer suportes escritos (ex: livros, cadernos, folhas), nem aparelhos de vídeo ou áudio, incluindo telemóveis, bips, etc.
O uso de dicionário para interpretação do enunciado ou apoio da resposta não é permitido.
Os examinandos não podem abandonar a sala antes de terminado o tempo regulamentar da prova e sem que as provas estejam devidamente identificadas e conferidas.
Terminado o tempo de duração da prova, o responsável pela vigilância, deve recolher, nos lugares, as folhas de resposta. (As folhas de rascunho não são recolhidas. Os examinados podem levar as folhas de rascunho e o enunciado da prova).

Calendário

Período de submissão de candidaturas | De 10 de outubro a 7 de novembro de 2018 (13:00h)

A Direção da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa informa que, face ao volume de candidaturas, irá suspender a receção de novos processos de equivalência a partir do dia 8, inclusive.

Exame de Português | 30 de novembro de 2018
Prova de Conhecimentos | 10 de janeiro de 2019
Prova Prática | 22 de abril a 7 de junho de 2019
Apresentação da Tese | Até 6 meses depois da realização da prova prática

Candidatura/Documentação

A candidatura é realizada presencialmente pelo candidato, ou por pessoa munida de uma procuração para esse efeito.

Documentação necessária
– Documento de identificação pessoal (ou fotocópia autenticada em situações em que não seja o próprio a instruir o processo);
– Diploma do curso, autenticado por agente diplomático ou consular português no país onde obteve o grau;
– Certificado de exames, com os resultados de todas as disciplinas que compõem a sua formação em Medicina, autenticado por agente diplomático ou consular português no país onde obteve o grau;
– Programas analíticos e cargas horárias das disciplinas do curso realizado, devidamente descriminados, com todas as páginas autenticadas pela instituição de ensino superior que os emitiu;
– Uma fotografia tipo passaporte;
– Currículo Vitae atualizado;
– Quatro exemplares, em suporte papel, do Trabalho previsto na alínea c) do n.º 1 do artigo 9.º do presente regulamento, quando aplicável(consultar regulamento);
– Conversão da escala numérica (caso seja diferente da escala de 0 a 20), tendo que entregar o documento comprovativo da classificação final do curso;
– Documento de reciprocidade entre países, quando aplicável (consultar regulamento);
– Tradução dos documentos para Língua Portuguesa, à exceção dos que se encontrem em Espanhol, Francês, Inglês e Italiano;
– Preenchimento no ato da candidatura do impresso Modelo 525 (fornecido pela FMUL no ato da candidatura);
– Declaração sob compromisso de Honra em como não instruiu nenhum pedido noutra Escola Médica Portuguesa (minuta disponível AQUI);
– Declaração assinada onde consinta expressamente o tratamento dos dados pessoais contidos na candidatura (minuta disponível AQUI).

Entrega de documentação
Local: Serviços Académicos da FMUL – Piso 0 (junto ao bar dos alunos)
Horário: Das 10:00h às 13:00h, de 2ª a 6ª feira (serão entregues diariamente um número limitado de senhas).
Prazo: De 10 a 31 de Outubro de 2018

Procedimento
– Solicite senha junto ao segurança. Peça ao segurança o impresso Modelo 525. Preencha o impresso modelo 525 e aguarde a chamada.
– Quando o funcionário o chamar entrega-lhe o impresso modelo 525 preenchido e o documento de identificação. O funcionário vai confirmar os seus dados.
– Entregue ao funcionário a documentação obrigatória solicitada no regulamento. A sua documentação será colocada em envelope fechado fornecido pela FMUL.
– O funcionário irá registar o seu contato de e-mail de telefone e vai ativar o registo de pagamento de emolumento.
– Efetue o pagamento na Tesouraria do emolumento associado (500,00€ – quinhentos Euros), de acordo com a tabela de emolumentos da FMUL (disponível AQUI).
– Após efetuar o pagamento vai receber dois comprovativos de pagamento. Entregue um comprovativo ao funcionário que recebe as candidaturas.
– O funcionário ao receber um comprovativo de pagamento vai-lhe entregar uma cópia do impresso Modelo 525.

A verificação da documentação entregue não é realizada no ato da candidatura. A verificação é realizada em fase posterior. Nesse sentido recomendamos a atenta verificação dos documentos que são entregues.

Documentação em falta / Desistência
Caso seja detetada alguma documentação em falta, será contactado pelos serviços no sentido de entregar essa documentação.
Em caso de não entrega de documentação obrigatória até 31 de outubro de 2018, a sua candidatura fica sem efeito.
Em caso de desistência da candidatura o valor pago de emolumento não é devolvido.

Questões Frequentes (Candidatura/Documentação)

Modelo da procuração
O regulamento não indica nenhum tipo particular de procuração, a FMUL não definiu nenhum modelo de procuração para o efeito.
A procuração deve especificar a identidade (nome completo e número de identificação) de quem passa a procuração; especificar a identidade (nome completo e número de identificação) de quem vai representar o candidato e deve ser claro que o procurador está mandatado para tratar do processo de se destina Processo de Equivalência ao Ciclo de Estudos Integrado do Mestrado em Medicina das Escolas Médicas Portuguesas.

Documentos preenchidos pelo procurador
O procurador pode preencher pelo candidato(a) a declaração sob compromisso de Honra em como não instruiu nenhum pedido noutra escola médica; a declaração assinada onde consente expressamente o tratamento dos dados contidos na candidatura e o impresso Modelo 525 – Equivalência a grau de Mestre.
O impresso modelo 525 é fornecido pela FMUL no ato da candidatura.
Caso a candidatura seja feita por procuração, a cópia da identidade (nome completo e número de identificação) tem de ser autenticado por agente diplomático ou consular português no país onde obteve o grau, ou em alternativa, autenticado através da apostilha de Haia.
Caso a cópia seja feita por instituição portuguesa não necessita da apostilha de Haia.

Entrega de documentos por correio ou via correio eletrónico
A candidatura à equivalência ao MIM é feita presencialmente pelo candidato, ou por pessoa munida de uma procuração para esse efeito.

Validação de documentos via correio electrónico
Os serviços académicos da FMUL não validam documentos enviados por correio electrónico.

Tamanho da foto tipo passaporte
Recomendamos foto com dimensão de 3cm x 4 cm

Modelo de Currículo Vitae
O regulamento não indica nenhum tipo particular de Currículo Vitae, a FMUL não definiu nenhum modelo de Currículo Vitae para o efeito.

Autenticação de documentos
O diploma do curso (ou cópia autenticada do mesmo), tem de ser autenticado por agente diplomático ou consular Português no país onde obteve o grau, ou em alternativa, autenticado através da apostilha de Haia.
O certificado de exames (ou cópia autenticada dos mesmos), com os resultados de todas as disciplinas que compõem a sua formação em Medicina, tem de ser autenticado por agente diplomático ou consular português no país onde obteve o grau, ou em alternativa, autenticado através da apostilha de Haia.
Os programas analíticos e cargas horárias das disciplinas do curso realizado, devidamente descriminados, em que todas as páginas têm de ser autenticados pela instituição de ensino superior que os emitiu.

Conversão da escala numérica (caso seja diferente da escala de 0 a 20)
Ao instruir a sua candidatura deverá entregar documento comprovativo da classificação final de curso e, caso a classificação final de curso não seja numa escala de 0 a 20, os serviços académicos da FMUL vão converter a sua classificação através da seguinte portaria.

Diplomados pela Universidade Federal do Rio de Janeiro
Em relação ao processo de Equivalência os diplomados pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) podem ficar ao abrigo do acordo bilateral de reconhecimento e revalidação de diplomas entre a Universidade de Lisboa e a UFRJ. Este processo encontra-se atualmente em curso e o texto final do acordo estabelecido será disponibilizado brevemente na página oficial da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Pedidos de equivalência formalizados em diferentes Escolas Médicas Portuguesas
No actual processo, que decorre de 10 a 31 de outubro, só pode formalizar candidatura numa única Escola Médica Portuguesa. Lembre-se que vai assinar um compromisso de honra a indicar essa situação.
No caso de já ter formalizado candidaturas em processos anteriores, o compromisso de honra não se aplica, desde que esses processos estejam finalizados, ou tenha desistido.

Consulta de modelos de provas realizadas anteriormente
A FMUL não disponibiliza modelos de provas realizadas anteriormente.

Estão dispensados da apresentação da prova de reciprocidade

– Os cidadãos oriundos dos países da UE;
– Os cidadãos oriundos do Brasil e dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOPs);
– Os cidadãos oriundos dos países que ratificaram a Convenção de Lisboa;
– Os cidadãos oriundos de países com os quais já se tenha verificado a existência de reciprocidade, nomeadamente, Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, Peru, República Dominicana, Tailândia, Turquia e Venezuela.

Trabalho Final de Mestrado Integrado ou equivalente
Todos os alunos do Curso de Mestrado Integrado em Medicina têm de apresentar um trabalho final. Os candidatos devem fazer uma apresentação escrita e oral de um trabalho semelhante ao exigido aos alunos do Curso de Mestrado Integrado em Medicina

Os candidatos devem apresentar um dos seguintes trabalhos:
Dissertação – trabalho escrito, original, empírico, na sequência de um trabalho de pesquisa e, normalmente, realizado no final de um curso;
Monografia – trabalho original, da autoria do requerente, publicado ou para publicação, na forma de artigo, em português ou inglês, de acordo com as normas de uma revista científica indexada; poderá ser no âmbito da medicina clínica ou investigação básica; pretende-se que os candidatos elaborem uma monografia, ou trabalho temático, em que se faz a abordagem de um tema particular; na monografia, como o nome indica, escreve-se sobre um único tema, não necessariamente novo, nem inédito; pode-se abordar vários aspectos do mesmo tema ou relacionar o tema com outros;
Relatório Curricular – descrição detalhada do curriculum vitæ académico e/ou profissional do requerente, por exemplo, um relatório crítico da sua experiência formativa.

Caso não tenha algum trabalho deste tipo, pode realizar a sua candidatura, no entanto, dispõe de um prazo limite de 6 meses para entrega e discussão do Trabalho Final de Mestrado Integrado, a contar a partir da data de aprovação à Prova Prática/Clinica.

Caso tenha algum trabalho realizado com estas características, pode entregar 4 volumes em papel na sua candidatura.

Contactos

@ equivalencia@medicina.ulisboa.pt

Atendimento
2ª | 4ª | 6ª – 10:00h às 13:00h
3ª | 5ª – 10:00h às 13:00h / 14:00h às 16:00h

Copyright 2019 | Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa |