• pt
  • en

JOÃO LOBO ANTUNES, nome cimeiro da Medicina Portuguesa, Neurocirurgião, Cientista e Ensaísta de renome internacional, nasceu em Lisboa, a 4 de Junho de 1944.

Licenciou-se em Medicina em 1968, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Três anos após terminar a licenciatura, obteve uma bolsa Fulbright e foi para os Estados Unidos, onde permaneceu entre 1971 e 1984, e trabalhou no Departamento de Neurocirurgia de Nova Iorque (Universidade de Columbia), onde foi nomeado Professor Associado de Neurocirurgia. Doutorou-se em Medicina, pela Universidade de Lisboa, em 1983 e um ano mais tarde regressou a Portugal. Foi Professor Catedrático de Neurocirurgia da FMUL, Diretor do Serviço de Neurocirurgia do Hospital de Santa Maria e Presidente do Instituto de Medicina Molecular, do qual foi fundador.

Possuidor duma personalidade marcante, influenciou os destinos de tudo e de todos por onde passou e, ao longo dos anos, foi fonte inspiradora para muitos dos que se cruzaram com ele e que dele guardam as melhores recordações.

A sua vida institucional foi muito relevante. Desempenhou com brilho e dedicação várias funções institucionais, incluindo, na Faculdade de Medicina, a de Presidente do Conselho Pedagógico (1988-1995), Presidente do Conselho Científico (de 1996 a 2004) e de Presidente da Assembleia de Representantes/Assembleia da Faculdade/Conselho de Escola (de 2005 a 2013). Foi um Professor empenhado e exemplar em todos os movimentos de renovação da sua Faculdade de Medicina, nos quais participou com grande interesse, motivação e empenhamento. Foi ainda um dos motores por trás da criação da Universidade de Lisboa (ULisboa), resultante da fusão da Universidade Clássica com a Universidade Técnica de Lisboa.

Em 1996 a sua “tradição humanista” valeu-lhe o Prémio Pessoa e, em 2005, foi eleito presidente do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida.

A sua última aula foi em 2014, altura em que se jubilou. A aula da sua despedida, intitulada “Uma vida examinada”, foi dada no Grande Auditório do Edifício Egas Moniz da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, o mesmo Auditório que agora recebe o seu nome.

Autor de uma vasta e reputada obra enquanto Médico, Cientista, Investigador e Ensaísta, João Lobo Antunes faleceu em Lisboa, a 27 de outubro de 2016.

«…Criei uma intimidade com um órgão único que é o cérebro, que tem uma beleza estética, até formal, que me encanta.»

«A arte cirúrgica é a que permite a revelação mais límpida daquilo que é fascinante, que é o pulsar, o pulsar da vida, que é o saber que ali se anicham, sabe-se lá onde, sentimentos, emoções, a atenção, a vontade, a memória, etc., num barro que parece uniforme, mas que não é. Isto convive, ao mesmo tempo, com o terrível saber que um passo em falso pode de alguma forma destruir esta harmonia para sempre.»

«Construí-me dentro da doutrina médica, no sentido mais vasto, mais humano, o sentido da filosofia de uma profissão que, como o Fernando Gil escreveu num texto admirável, é a profissão que mais próxima está do ‘imperativo kantiano.’»

João Lobo Antunes


CONVITE

O Diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Professor Fausto J. Pinto, tem a honra de convidar V. Exa para a Cerimónia de Homenagem ao Prof. Doutor João Lobo Antunes, falecido a 27 de outubro de 2016, que terá lugar no próximo dia 2 NOV, pelas 10h30, no Grande Auditório do Edifício Egas Moniz.

Nesta Cerimónia, que pretende honrar a memória de um dos mais emblemáticos membros da FMUL, será descerrada a placa de atribuição do seu nome ao Grande Auditório do Edifício Egas Moniz.

 

RSFF: até 27 de outubro para relacoespublicas@medicina.ulisboa.pt

 

Copyright 2017 | Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa |